Falar de projetos é a peça que falta no planejamento do casal

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Uma reclamação em comum entre a maioria dos casais que chegam até mim na consultoria financeira é: “parece que não estamos caminhando para o mesmo lugar”. Isso se torna mais nítido ainda quando o assunto são os projetos.

Sendo bem sincera, isso realmente pode estar acontecendo. E tem uma justificativa plausível. Calma, não comece aqui a buscar culpados. Mude seu olhar e passe a focar na solução.

Normalmente quando eu pergunto para estes casais quais são os objetivos individuais ou quais são as sensações próprias sobre aquilo que é para o par o problema financeiro, percebo que existe uma confusão ou falta de clareza ainda no âmbito pessoal. E quando não sabemos para onde ir, acabamos indo para qualquer lugar.

Você pode estar se perguntando: “ Como é que resolve isso?”

Com os meus clientes, tenho o hábito de colocar como um dos pilares da estratégia de planejamento financeiro os projetos que possuem. Eu faço isso porque acredito que dinheiro por dinheiro não gera prazer.

E é aí que está o grande segredo, pelo menos para mim. Num relacionamento, compartilhamos a vida, porém nem sempre os projetos são realmente vontade dos dois, e quando isso acontece, precisamos abrir espaço para a possibilidade de realizações individuais, o que eu costumo chamar de “ os meus, os seus e os nossos projetos”.

Mas cuidado!

Temos aqui uma equação perigosa se mal formulada:

2 salários + 2 cabeças pensando + 2 formas diferentes de lidar com dinheiro = dificuldades.

Então, mesmo tendo projetos individuais, o que é muito saudável, busquem objetivos em comum para trazer o ponto de equilíbrio necessário.

Um erro comum é falar de dinheiro apenas quando alguém lembra que está para vencer um boleto. Não façam isso, por favor, não façam! Tenham conversas preventivas, falem sobre os medos financeiros, sobre os desejos, sobre aqueles sonhos que têm vontade de realizar.

Se um não conhece o objetivo financeiro do outro, haverá sempre um sentimento de frustração a cada passo dado. A falta de planos faz com que o sonho de um seja o empecilho para as conquistas pessoais do outro. Não caiam nesta armadilha!


É como diriam: a transparência, o diálogo e a eleição de prioridades são a alma do negócio. No nosso caso, do planejamento financeiro do casal. Ora vocês executarão os projetos de um, ora do casal, e ora do outro. Assim, naturalmente os objetivos individuais passarão a ser uma conquista mútua.

Querem saber uma regrinha de ouro? Celebre cada conquista. Seja um projeto executado ou até mesmo uma meta de investimentos.

Isso é importante, porque, com o tempo, o assunto dinheiro passa a ter mais leveza dentro de casa e não mais se resume a falar de boletos.

Além disso, nosso cérebro nos entende melhor quando mostramos para ele que existe uma recompensa inserida no contexto e aí aquilo que gerava chateação, inquietude, fadiga ou dor, dia após dia, passa a não gerar tanto desconforto assim.

E lembrem-se, planejamento financeiro a dois é como cuidar de uma planta, precisa ser regada e cultivada respeitando as peculiaridades de cada uma.

Se quiser saber mais ou acha que faz sentido ter meu acompanhamento no planejamento financeiro do casal, clique aqui e assim poderá me contar melhor o seu caso e eu lhe direcionarei para qual tipo de acompanhamento considero ser melhor para o seu caso.